Chenjiagou

Chenjiagou

 
Após visitarmos Pequim, seguimos de trem para Luoyang, e então de ônibus para Chenjiagou. O nome do vilarejo quer dizer literalmente “canal da família Chen”, e refere-se a um pequeno córrego que fazia com que as terras fossem férteis na época em que Chen Bu instalou-se na região para repovoá-la após uma guerra civil. O canal ainda está lá, e atualmente há um passeio estreito no meio dele. Numa das extremidades há um pátio calçado, próprio para praticar. Foi neste local que os generais da 15ª geração da família Chen lutaram contra os Taiping, conseguindo impedir o avanço de um exército de 20 mil Taiping, contando com menos de dois mil homens, durante dois dias – tempo suficiente para que os aldeões fugissem e não fossem massacrados quando o vilarejo foi destruído. Nosso grupo, guiado por Jan Silberstorff, tinha 39 brasileiros e 34 alemães que viajaram para participar do seminário com o Grão-Mestre Chen Xiaowang.
No segundo dia da nossa estada em Chenjiagou, o templo da família Chen estava em festa para uma cerimônia tradicional, à qual pudemos assistir. O templo é o local onde se encontram as lápides em homenagem aos patriarcas de cada geração da família, e a estátua de Chen Wangting, o fundador do sistema. Atrás do templo fica o museu da família, com diversas salas com pinturas murais contando a história do vilarejo e do Taijiquan (tai chi chuan). Ao lado, fica o cemitério da família, onde estão os túmulos dos ancestrais, dispostos segundo a árvore genealógica familiar, e onde assistimos a outra cerimônia, esta de homenagem aos antepassados.
No dia seguinte, a WCTAG – ramo alemão da Associação fundada pelo Grão-Mestre Chen Xiaowang – ofereceu uma homenagem ao Grão-Mestre, instalando uma lápide no pátio da escola de Taijiquan (tai chi chuan), com dizeres de agradecimento.
Nossa estada no vilarejo durou sete dias, seis dos quais ocupados pelo seminário, quando o Grão-Mestre ensinou a forma Laojia, principal forma do sistema, e a Xinjia, a forma criada por seu avô, o lendário Chen Fake. Mais de 100 alunos de dez países diferentes estiveram presentes. Além de guiar o grupo e demonstrar os movimentos, o Grão-Mestre respondeu às perguntas de todos.
Chenjiagou está entrando num período de tranformação. O vilarejo ainda é bem pequeno, e não tem mais de 3 mil habitantes. Ainda é possível fazer uma ótima refeição por 5 yuan, ou aproximadamente um real. Mas o governo chinês começou a investir pesado no Taijiquan (tai chi chuan), e a pouco mais de 200m da escola da família Chen estão sendo erguidos vários prédios modernos: ginásios, hotéis, todos parte de um complexo turístico-esportivo que tende a aumentar maciçamente o fluxo de alunos e turistas para o vilarejo.