WordPress

Traduções antigas do WordPress

Nós começamos a traduzir o WordPress na versão 0.72 e fizemos a nossa última contribuição na versão 2.1.3. Alguns voluntários contribuíram para as versões antigas: Agner do Agner, Luiz Paulo e Neto Cury. Atualmente a tradução é tocada pela Cátia.

Como usar o arquivo compilado do painel de administração

Veja as instruções acima, e leia também mais sobre codificações de texto abaixo.
Além do arquivo compilado, você também precisará da tradução do tema padrão para ter uma tradução completa: veja o arquivo mais abaixo.

Arquivo fonte do painel de administração

Este é o arquivo de texto utilizado como fonte para a compilação da tradução do WordPress. Você não precisa deste arquivo para que o WordPress funcione em português: baixe-o somente se você quiser alterar algo na tradução e compilar você mesmo uma tradução personalizada. Para compilar uma tradução você precisará do gettext ou do poedit. Se você tem um Mac, sugerimos o LocFactoryEditor, a versão lite é gratuita. Atenção: nestes arquivos o texto está codificado em UTF-8, e o arquivo está compactado em formato zip. Leia mais sobre codificações de texto.

Codificações de texto: UTF-8 e ISO8859-1

Os arquivos oferecidos para download foram codificados em UTF-8, e estão compactados em formato zip. Todo arquivo de texto usa alguma codificação de texto, e o UTF-8 é a codificação para onde a internet está evoluindo. Caso você não veja os caracteres acentuados do português e o cedilha exibidos corretamente, você está tendo problemas com codificações de texto conflitantes. Verifique se o WordPress está ajustado para usar a codificação UTF-8 (na página de Opções), e se o programa de FTP que você usou para enviar o arquivo para o seu provedor (host) oferece suporte para UTF-8.
Se você ainda usa seu WordPress em ISO8859-1 (este ajuste está diponível dentro do painel de administração do WordPress), você precisa fazer o seguinte: baixe o arquivo .PO, abra-o com um editor de texto (não com o Word, mas com um editor de texto simples), e grave-o usando a opção “salvar como” optando pela codificação ANSI, Windows Latin-1 ou ISO8859-1, como preferir. Depois compile o arquivo usando o poedit para gerar um arquivo .MO, que você vai poder usar com o WordPress conforme as instruções acima.

Para uso com o WordPress 2.1.3

Arquivo compilado: pt_BR.mo
Arquivo fonte: pt_BR.po

Para uso com o WordPress 2.0

Arquivo compilado: pt_BR.mo
Arquivo fonte: pt_BR.po

Até a versão 2.0 do WordPress, os arquivos .PO e .MO traduziam somente o painel de controle do WordPress, mas não a páginal principal do site. Você precisava da tradução do tema-padrão para que o leitor do seu sítio visse-o em português e com as datas no formato brasileiro. Para usar a tradução a seguir, você deve apagar a pasta default que fica dentro do diretório /wordpress/wp-content/themes/ e substituí-la por esta, traduzida (depois é claro de descompactá-la).
Tema padrão traduzido: default.zip

Para uso com o WordPress 1.5

Arquivo compilado: pt_BR.mo
Arquivo fonte: pt_BR.po

Para uso com o WordPress 1.2

Arquivo compilado: pt_BR.mo
Arquivo fonte: pt_BR.po

Para uso com o WordPress Multi-User (WPMU) 1.2.1

Arquivo compilado: MU_pt_BR.mo
fonte: MU_pt_BR.po

Como traduzir manualmente um tema

O WordPress oferece grande flexibilidade na escolha do desenho do seu site, através do sistema de temas. Mas pode ocorrer que de o tema de que você gostou não estar disponível em português. Aqui ensinamos como traduzir um tema. Qualquer tema para o WordPress pode ser traduzido de duas formas: o tema pode estar preparado para uma tradução através do gettext, ou pode não estar.
Os temas para o WordPress são formados de uma série de arquivos em PHP, uma linguagem de programação que é interpretada pelo servidor ao qual os leitores pedem as páginas quando navegam. O servidor onde está instalado o seu site então gera a página solicitada em tempo real. Tudo que é preciso fazer para traduzir um tema é traduzir as frases em inglês dentro destes aquivos, tomando o cuidado de não modificar nenhum caracter de controle, como aspas ou apóstrofes.
Você vai precisar de um editor de texto apropriado para programação, de preferência que atribua cores aos comandos do PHP para facilitar a identificação deles. Sugerimos os Notepad (para Windows), ou BBEdit (para Mac). Não use processadores de texto, eles inserem caracteres no arquivo que vão impedir o funcionamento do WordPress.

Abra um dos arquivos em PHP do tema de sua escolha. Vamos tomar como exemplo o index.php do tema Hemingway, usado neste site. Se estiver usando um editor como recomendado, você verá algo como:


12	<?php while (have_posts()) : the_post(); ?>
13		<div class="story<?php if($first == true) echo " first" ?>">
14			<h3><a href="<?php the_permalink() ?>" rel="bookmark" title="Permanent
			 Link to <?php the_title(); ?>"><?php the_title(); ?></a></h3>
15			<?php $hemingway->excerpt() ?>
16			<div class="details">
17				<?= _('Posted at') ?> <?php the_time('ga ﹨o﹨n ' . $hemingway->date
				_format(true) . '/y') ?> | <?php comments_popup_link('no comments',
				 '1 comment', '% comments'); ?> | Filed Under: <?php the_category
				(', ') ?> <span class="read-on"><a href="<?php the_permalink() ?>">
				read on</a></span>
18			</div>
19		</div>
20		<?php $first = false; ?>
21	<?php endwhile; ?>

 
Este é o conhecido loop do WordPress, que coloca os artigos na página. Estão marcadas acima, com fundo diferente, os trechos que correspondem à lingua inglesa e que devem ser traduzidos para o português.
Cabe chamar a atenção para a linha 17. O primeiro trecho marcado nesta linha na verdade não precisaria ser traduzido, pois está dentro de _(' '), que é a função usada para tradução pelo gettext. O segundo trecho, ga ﹨o﹨n, corresponde à uma função do PHP que gera a hora em que o artigo foi escrito. Os caracteres ga pedem que seja gerada a hora, e depois dito vêm as letras o e n precedidas do caracter especial ﹨, que diz ao PHP para ignorar as letras e simplesmente devolvê-las intactas, formando a palavra on em inglês. Assim, para traduzir esta palavra bastra trocar as letras o e n pelas letras e e m, mantendo os caracteres ﹨ . Depois disto vêm 3 trechos que serão escolhidos pelo programa de acordo com o número de comentários – isto é um artifício para permitir formas diferentes no singular e no plural, presentes em algumas línguas. Não se deve tocar no caracter % no terceiro trecho, pois o WordPress o substitui pelo número de comentários àquele artigo.
Tudo que é necessário para descobrir o que deve ser traduzido e o que deve ser deixado intacto é comparar o código que você tem com o resultado que você vê na tela: torna-se fácil identificar os trechos que são inglês e os trechos que são PHP. A mesma lógica pode ser aplicada a todos os outros arquivos que compoem quaisquer temas. Você pode experimentar com a tradução, desde que é claro faça uma cópia de segurança do seu banco de dados do WordPress antes. O máximo que pode acontecer, se tomar esta precaução, é descartar tudo e começar a tradução de novo.