O princípio de movimento do Taijiquan

O princípio de movimento do Taijiquan (Tai Chi Chuan)

O que diferencia o Taijiquan (tai chi chuan) como estilo é o princípio de geração de força que lhe é único. Mas apenas gerar força interna não é suficiente, é necessário mover o corpo usando esta força e de forma a manter a postura que é a sua origem. Assim, o Taijiquan (tai chi chuan) tem um princípio de movimento que deve ser respeitado durante a prática.
Da mesma forma que para aprender a gerar força interna, três requisitos são necessários para aprender a mover-se segundo o método do Taijiquan (tai chi chuan): movimento correto do corpo (o princípio propriamente dito), compreensão correta do método de treinamento, e o treinamento em si.

Movimento correto do corpo

O princípio de movimento que governa o Taijiquan (tai chi chuan) é: o centro do corpo se move, e todo o corpo o segue. Este princípio pode ser enunciado de outras formas menos precisas, como “o corpo se move e as mãos seguem”. Quando dizemos centro do corpo, estamos nos referindo a uma região entre o terço superior das coxas e uns 15 cm acima do umbigo, em todo o seu volume. Ou seja: à face ventral, à face dorsal e também aos lados; tanto à camada superficial quanto às camadas mais profundas. No centro do corpo como definido aqui está a maior parte da massa muscular do corpo humano.
Mover o centro do corpo e permitir que todo o resto do corpo o siga requer que a postura correta do corpo seja mantida constantemente. Isto significa que as relações de força entre as partes do corpo que encaramos normalmente como partes, por serem intensas o suficiente, são mantidas durante o movimento e fazem com que o corpo mova-se como uma unidade.
Não existem vários movimentos (dos braços, das pernas etc.) executados simultaneamente, mas sim existe um único movimento executado pelo corpo todo.

Compreensão correta

Diferenciar causa de consequência e cultivar a causa é um conceito central na compreensão do método de treinamento. Não é possível atingir a consequência diretamente, é um erro tentar cultivar a consequência. Direcione a sua dedicação para realizar as causas, e as consequências aparecerão naturalmente. Este aspecto do método de treinamento é um exemplo muito importante de aplicação do conceito de yinyang no Taijiquan (tai chi chuan): não se procura obter algo diretamente, mas sim indiretamente, através daquilo que lhe dá origem.
Mover o centro do corpo e permitir que todo o resto do corpo o siga é a consequência de uma prática longa e persistente. O aluno deve ter o princípio de movimento do Taijiquan (tai chi chuan) em mente, mas durante os primeiros anos de prática não é possível mover o corpo segundo este princípio.
O motivo disto é que o aluno não sabe como aplicar o princípio na prática: mover o corpo segundo o princípio é o que ele almeja aprender. Se ele tentasse simplesmente mover-se segundo o princípio, seria como se numa primeira aula de auto-escola um instrutor dissesse apenas “sente aí e dirija”.
Assim, é necessário e indispensável que o professor mostre como o aluno deve mover-se. Isto é feito de duas formas que se complementam: a primeira é demonstrando o movimento para que o aluno o copie tanto quanto possível. A segunda forma é tão ou mais importante que a primeira: é necessário que o professor mova com as suas mãos o centro do corpo do aluno, com as suas mãos apoiadas nos lados da bacia do aluno. Assim o aluno pode seguir um movimento que não sabe fazer por si só, e a repetição deste procedimento ensinará seu corpo a mover-se de uma nova forma, segundo o princípio.
Ao praticar, no lugar de pensar em mover o centro do corpo e permitir que o resto do corpo siga, o aluno deve então concentrar-se na causa que deve realizar: deve direcionar seus esforços para fazer exatamente o mesmo que o professor fez quando tinha as próprias mãos tocando a bacia do aluno.

É preciso chamar a atenção para um ponto importante, que facilmente ilude iniciantes. Imagine que você está vendo uma pessoa praticando, de cima. Se esta pessoa, sem deslocar-se de onde está, gira o seu corpo no sentido anti-horário com velocidade e ao mesmo tempo desfere um soco com o punho direito, o giro do corpo aumenta em muito a velocidade e a potência do soco.
Mas isto não tem absolutamente nenhuma relação com o princípio de movimento do Taijiquan (tai chi chuan), e é apenas um efeito mecânico externo. Mover o corpo segundo o princípio é muito mais difícil e profundo que isto, e envolve o aprendizado de uma nova forma de movimentar o corpo.

Treinamento

O tempo de treinamento dedicado ao Taijiquan (tai chi chuan) deve ser dividido de forma proporcional. Tradicionalmente diz-se que o treinamento básico não deve passar de metade do tempo de treinamento total, ou seja, se você praticar durante duas horas por dia, divida sua prática da seguinte forma: meia hora praticando zhanzhuang (zhan zhuang), meia hora praticando chansijin, e uma hora praticando a forma.
Se praticando três horas ou mais por dia, dedique uma hora e meia à zhanzhuang e chansijin (somados), e pratique a forma durante todo o tempo restante.
Finalmente, o praticante deve ter consciência de que seu corpo está acostumado a mover-se de um determinado modo, e está estruturado sobre este modo. O processo de modificar a forma movimentar o corpo leva anos e requer dedicação incondicional e esforço sem medidas.

Comentários

 
Gostaria que fizesse um comentário sobre a prática do Tui Shou e
San shou.
— Dagmar

Há basicamente dois tipos de tuishou: o que se pratica em cooperação com um outro praticante, e o que se pratica em competição com um outro praticante. Geralmente o de cooperação é muito praticado por alunos com pouco tempo de treino, e o de competição é muito pouco treinado. Isto é o oposto do desejável. Vê-se alunos com pouco tempo de prática e nenhum domínio do movimento tentando executar movimentos complexos do tuishou de cooperação, e o resultado é que o movimento carece totalmente de força interna.
Idealmente o tuishou de competição deve servir para aferir o progresso no domínio da força interna, porém se praticado cedo demais no currículo de treinamento o que acontecerá é que em lugar de procurar derrubar o adversário com o movimento do Taijiquan (tai chi chuan), tentar-se-á derrubá-lo a qualquer custo, o que resulta em treinar a força comum, em vez de treinar a força interna. Deve-se tomar o cuidado de praticar o tuishou de competição somente quando este puder ser praticado procurando usar a força interna.
Uma vez que o aluno consiga executar os movimentos da forma segundo os princípios do Taijiquan (tai chi chuan), pode começar a treinar o tuishou de cooperação, para adquirir destreza. Neste quadro, o tuishou de competição seria praticado no currículo de treinamento antes de se começar a prática do tuishou de cooperação. Sanshou é um treinamento avançado – trata-se de aplicar livremente o Taijiquan (tai chi chuan) para derrubar o oponente. É evidente que para isto é preciso um alto nível de conhecimento, caso contrário a prática é inútil.

Gostaria de saber o que é o Chansijin?
— Nelson Jesus

Chansijin significa: desenrolar o fio de seda. O nome faz referência ao ato de desenrolar a seda do casulo do bicho-da-seda, uma operação que requer muita prática, pois se for usada força em excesso o fio se parte, mas se usada força insuficiente o fio de emaranha. Chansijin é o nome do qigong (chi kung) primordial do estilo Chen de Taijiquan (tai chi chuan), é através deste qigong (chi kung) que se aprende a exercer a força em espiral característica do estilo.