Integração de todo o corpo

Integração de todo o corpo no Tai Chi Chuan

Quando um se contrai, todos se contraem. Quando um relaxa, todos relaxam.Chen Yingjun

Chen Yingjun disse-me isto em 2010, durante uma aula. Eu não falo chinês, e quando enunciou o ensinamento, ele o fez na sua língua-mãe, e perguntou-me se eu havia compreendido, mesmo sabendo que eu não a compreendo. O significado tinha ficado evidente por causa das correções que ele tinha feito na minha postura, mesmo a aula tendo sido em silêncio. Eu respondi traduzindo o ensinamento para o inglês, e obtive sua confirmação.
O que este ensinamento quer dizer é que quando uma parte do corpo se contrai, todo ele se contrai; e quando uma parte do corpo relaxa, todas as outras partes relaxam. Isto acontece com todas as pessoas, pois o corpo é naturalmente uma unidade, ainda que estejamos praticando exatamente para torná-lo uma unidade.
Esta “lei natural” tem algumas consequências curiosas, e outras interessantes. Por exemplo, se um aluno começa a praticar com um professor que não sabe bem o que está ensinando, ele levará muito tempo para perceber isto – porque toda vez que o professor der um comando simples, como para relaxar os ombros, o aluno se sentirá bem ao obedecer, pois todo o corpo relaxará junto. O aluno fica sem ter como saber se o professor realmente sabe colocá-lo numa postura onde o corpo consegue relaxar profundamente. Por outro lado, se o mesmo aluno estiver aprendendo com um bom professor, as consequências serão muito vantajosas, pois o relaxamento profundo, possível apenas num postura correta, pode ser induzido através do relaxamento de regiões do corpo às quais o aluno tem acesso voluntário. Um corolário adicional é que deve-se evitar a contração da face, quando as posturas estiverem pesadas, caso contrário, todo o corpo se contrairá junto com a face.