Tradição

Tradição

Chenjiagou está pasando por transformações importantes. O governo chinês continua investindo pesado, e um parque turístico está sendo construído há alguns anos. Na rua principal, onde ficam a escola de Taijiquan (tai chi chuan) e o templo da família Chen, hoje há um escritório de informações turísticas, onde se pode comprar os ingressos para o próprio templo e os museus. Um pouco do romantismo de visitar uma pequena vila no interior de uma das províncias menos desenvolvidas da China vai sendo perdido. Mas esta é uma ótica influenciada pela ilusão da Idade de Ouro, em que os melhores tempos sempre estão no passado.
Até a queda da dinastia Ming, a arte marcial era primordialmente voltada para o uso de armas de guerra, e o treinamento para luta à mãos livres era mínimo ou inexistente. Chen Wangting, o criador do Taijiquan (tai chi chuan), era um militar, um Senhor da Guerra, como chamavam-se na sua época, e seus antepassados provavelmente tinham funções militares – Chen Bu, o primeiro da família em Henan, foi enviado para cá pelo governo, para colonizar a área. Seus descendentes, no entanto, não foram militares, mas principalmente guarda-costas de caravanas, entre outras profissões. Até a 13ª geração, somente parentes aprendiam a arte, mas na 14ª geração, Chen Xangxing admitiu Yang Luchan como aluno, e a partir de então o Taijiquan (tai chi chuan) começou a se espalhar pela China. Até Chen Xiaowang aceitar Jan Silberstorff como discípulo, somente chineses haviam praticado com a família Chen. Ao longo dos últimos quatro séculos várias tradições tem sido abandonadas, e graças a isto o Taijiquan (tai chi chuan) chegou até nós. Se não fosse por isto, talvez a arte marcial chinesa ainda estivesse restrita ao treinamento com lança e alabarda, dentro do exército de infantaria.
Uma tradição, no entanto, permanece firme e não dá sinais de desgaste. Uma família, de um vilarejo no interior de uma das províncias menos desenvolvidas da China, continua treinando suas crianças e jovens para manter vivo o conhecimento construído durante milênios. Até hoje é possível testemunhar a dedicação inquebrantável dos descendentes de Chen Wangting em atingir os níveis mais altos da sua arte para transmití-la imaculada à geração seguinte.